quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

EPILEPSIA DA INFANCIA TIPO AUSENCIA TIPICA

          
            Nem  todas  as  crises  epilépticas são do tipo convulsão.  algumas   podem  ter  apenas  breve  interrupção  da  consciência,  sem provocar  quedas,  às vezes,   acompanhadas  de movimentos  rítmicos  do piscar dos olhos,    com  um olhar  fixo e distante.
            Acontece mais na infância,  podendo persistir no    adulto (raro).   Não  confundir   com   redução ou  perda  de  consciencia,  que pode acontecer em  outras  formas de  Epilepsia,   em  qualquer idade.
            O diagnóstico pode ser confirmado pelo  eletroencefalograma.
           As  crises podem ser  provocadas  por  aceleração da  respiração  ou  taquipnéia,  por  estímulos luminosos  repetidos  e  por  sonolência, portanto,  medicamentos que  causam  sonolência  podem piorar  as  crises.
           Quando ocorrem,  costumam ser  muito  frequentes, podendo  ocorrer várias  vezes   em um mesmo dia,   até com prejuízo  do  aprendizado escolar, porque,  se uma criança  sofrer  crises de ausência,    poderá  deixar de  aprender  o  assunto ensinado  ou de escrever a totalidade de um  ditado,   com falha na escrita do mesmo,  correspondente  ao que  lhe foi  ditado quando em crise de ausência.
        Estas crises não provocam  dor  ou mal  estar.
        A resposta  ao  tratamento costuma ser  boa, desde  que   com  a   medicação  adequada.
        A  crise de  ausência  já  foi   chamada  de  “pequeno  mal epiléptico”,  na língua portuguesa  e  mundialmente,  pelo termo    “petit mal” da literatura médica francesa.
        Geralmente,  a  causa  é  genética.    não  provindo  de   lesão  cerebral.
        Crises de  ausência,  também podem  causar  acidentes, mas os mesmos costumam ser  raros,  porque,  as  crises  costumam  ocorrer  mais  em sonolência ou relaxamento e  menos  quando  no estado de  alerta.   exceção para quando  em respiração  acelerada,   ou  ainda,  quando  sob fotoestimulação,   como, por exemplo,  as  luzes de um pisca- pisca.

Para diagnóstico e tratamento consulte seu médico.

Dr. Nabil Elias Bittar - CRM 4343SC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.