quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

EPILEPSIA DA INFANCIA TIPO AUSENCIA TIPICA

          
            Nem  todas  as  crises  epilépticas são do tipo convulsão.  algumas   podem  ter  apenas  breve  interrupção  da  consciência,  sem provocar  quedas,  às vezes,   acompanhadas  de movimentos  rítmicos  do piscar dos olhos,    com  um olhar  fixo e distante.
            Acontece mais na infância,  podendo persistir no    adulto (raro).   Não  confundir   com   redução ou  perda  de  consciencia,  que pode acontecer em  outras  formas de  Epilepsia,   em  qualquer idade.
            O diagnóstico pode ser confirmado pelo  eletroencefalograma.
           As  crises podem ser  provocadas  por  aceleração da  respiração  ou  taquipnéia,  por  estímulos luminosos  repetidos  e  por  sonolência, portanto,  medicamentos que  causam  sonolência  podem piorar  as  crises.
           Quando ocorrem,  costumam ser  muito  frequentes, podendo  ocorrer várias  vezes   em um mesmo dia,   até com prejuízo  do  aprendizado escolar, porque,  se uma criança  sofrer  crises de ausência,    poderá  deixar de  aprender  o  assunto ensinado  ou de escrever a totalidade de um  ditado,   com falha na escrita do mesmo,  correspondente  ao que  lhe foi  ditado quando em crise de ausência.
        Estas crises não provocam  dor  ou mal  estar.
        A resposta  ao  tratamento costuma ser  boa, desde  que   com  a   medicação  adequada.
        A  crise de  ausência  já  foi   chamada  de  “pequeno  mal epiléptico”,  na língua portuguesa  e  mundialmente,  pelo termo    “petit mal” da literatura médica francesa.
        Geralmente,  a  causa  é  genética.    não  provindo  de   lesão  cerebral.
        Crises de  ausência,  também podem  causar  acidentes, mas os mesmos costumam ser  raros,  porque,  as  crises  costumam  ocorrer  mais  em sonolência ou relaxamento e  menos  quando  no estado de  alerta.   exceção para quando  em respiração  acelerada,   ou  ainda,  quando  sob fotoestimulação,   como, por exemplo,  as  luzes de um pisca- pisca.

Para diagnóstico e tratamento consulte seu médico.

Dr. Nabil Elias Bittar - CRM 4343SC

68 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi, eu tenho uma amiga que tem esse problema, quando ela demora voltar fazemos ela cheirar o álcool, isso está certo ou pode prejudicá-la?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi desculpe a demora. nao tinha visto o comentario antes. a estimulação com o alcool nao é comprovadamente mais eficaz que a estimulação tactil ou auditiva (chamado pelo nome). alem, do que, pode irritar a mucosa nasal. Em tendo crise mais prolongada, mais que 2 minutos para voltar, acionar samu ou bombeiros 193, levar paciente para atendimento medico em serviço de emergencia. Crises epilepticas podem ser prevenidas com uso diario de medicaçao, cada uma apropriada para cada tipo de crise, portanto, o tratamento exige diagnostico e classificaçao do tipo de crise epileptica. Sugiro neurologista ou profissional medico com experiencia na area. as ordens, boa sorte dr nabil elias bittar crm4343sc

      Excluir
  3. Boa noite Dr.Nabil, tenho 38 anos de idade e sofro com crises de ausência há aproximadamente 18 anos. Faço tratamento desde então e já me consultei com vários médicos neurologistas, psiquiatra e psicologo.
    Já fiz vários exames, eletroencefalogramas, tomografia computadorizada, entre outros e os médicos disseram que os exames não apresentam nada.
    Já tomei vários tipos de medicamentos.
    Atualmente estou há mais de 6 anos, fazendo o tratamento com um único neurologista. Sinto muita confiança no mesmo.
    Há anos atrás, ele me internou por 1 semana em um hospital, me deixou sem medicação algumas vezes e todo o tempo sendo filmada, para avaliações.
    Tive crises no período. Ele solicitou todos os tipos de exames neurológicos existentes.
    Chegou a conclusão que tive um problema quando feto.
    Atualmente as crises estão controladas. Acontecem ocasionalmente em períodos diferentes (as vezes fico 2 meses sem ter uma crise, mas as vezes, tenho mais de 1 crise no mesmo dia).
    O tempo da crise varia de segundos até 3 minutos aproximadamente. Neste tempo, fico fora de mim e costumo morder os lábios, normalmente machucando-os.
    Raríssimas vezes, urino durante a crise. Há anos atrás, isto acontecia com mais frequencia.
    Percebo que não paro o que estou fazendo durante a crise.
    Exemplo(acontece muito): tomo banho de manhã, tenho a crise no final do banho ou quando estou me enxugando e quando volto a mim, estou no meu quarto já vestida (e não me lembro deste período, do banheiro até o quarto). Sinto sono após a crise e as vezes só percebo que tive a crise por sentir meus lábios mordidos.
    Algumas vezes, sinto algo antes de ter a crise, um pequeno sinal.
    Tratamento atual: 6 comprimidos Hidantal 100, 1 comprimido Frisium e 1 comprimido Endofolin.
    * O que me intriga e fico com muita dúvida é o fato de "não parar minha atividade durante a crise".
    Obrigada por qualquer ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade, a ausência típica não costuma morder os lábios, nem fazer tantas sequencias de procedimentos automáticos. Seus sintomas lembram mais a forma de Epilepsia Parcial Complexa, na qual a carbamazepina tem sido a primeira medicação de escolha. O hidantal tem sido evitado no sexo feminino, por poder causar aumento na pilificação da pele. O eletroencefalograma nas crises de ausência típica quando diagnostico, mostra complexos pontaonda lenta generalizados, enquanto que na Epilepsia Parcial Complexa, mostra atividade ondas agudas, geralmente, em um dos lobos temporais ou ambos, ou seja, anormalidade focal.
      desculpe a demora dr nabil

      Excluir
  4. Olá Luciana, tudo bem? Gostaria de trocar uma ideia contigo sobre crises de ausência, você poderia me passar o seu e-mail de contato? Obrigado!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iverson, você é médico ou apenas tem 'experiências' com este mal?
      Tenho experiências pra trocar tbm.. Só não quero expô-las aqui.

      Excluir
  5. ola Dr. Nabil, minha esposa sofre de crise de ausencia. Isso começou quando ela trabalhava em dois empregos(hospitais) e ainda fazia faculdade. então, começou com apenas desligamentos rapidos de uns 5 segundos. com o passar do tempo aproximadamente 1 ano essas crises aumentaram de tempo e hoje chegam a uns 4 minutos, ela balança as maos, os olhos se arregalam e voce conversa com ela, e ela nao responde nada. Um sinal diferente é que ela sempre fala que ta morrendo de sono ao final de cada crise. Como devo me portar para ajuda-la e fazer com que ela na se sinta envergonhada perante a sociedade. Ah um detalhe ela toma remedio para depressao. Dr. me ajude!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, essa sintomatologia, parece muito com as crises de ausência típica. O eletroencefalograma é importante para confirmar esse diagnostico. É bem determinado de que quanto mais sonolento, mais fácil ter esse tipo de crise. Convém, então, evitar a privação do sono, que pode estar ocorrendo por conta dos 2 empregos mais a faculdade. Medicamentos que provoquem sonolência e alguns outros, também, podem piorar as crises de ausência.

      Excluir
    2. revendo minha resposta, devo lembrar que há necessidade de diagnostico diferencial com crises com comprometimento de consciencia do lobo temporal, ate pouco tempo atrás, denominada de parcial complexa do lobo temporal. O tratamento é bem diferente, do da Epilepsia tipo Ausencia típica.

      Excluir
  6. Olá Dr Nabil! Tenhoum amigo que sofre de crise de ausência, mas além do desligamento que duram no máximo 1min, ele as vezes fica estranho, de uma forma que fica sem reconhecer as pessoas( família, amigos), onde nos olha de forma assustada, e faz uns barulhos estranhos. Gostaria de saber se esses sintomas também fazem parte da crise de ausência ou se teria um outro motivo para o mesmo se comportar de tal forma.desde já agradeço. Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe a demora na resposta. Algumas crises de ausência podem ser acompanhadas de movimentos automáticos orais. O comportamento descrito me parece ser decorrente apenas da Epilepsia. Convem um eletroencefalograma para ajudar a diferenciar a Epilepsia Ausência da Epilepsia parcial complexa.

      Excluir
    2. É, acredito que as crises que o afetam seja a de ausência e a parcial complexa mesmo, pois ele as vezes anda de um lado pra outro e age como se estivesse tendo alucinações, uma vez que a crise inicia com um grito de medo e fica com uma expressão de susto e também de raiva.Gostaria de ajudá-lo. Muito obrigada Dr! Deus o abençoe

      Excluir
    3. O ideal seria o mesmo consultar com medico neurologista, mas os sintomas são mais de epilepsia parcial complexa do que de ausência. O medicamento é o mesmo, devendo ser feito o diagnostico diferencial. boa sorte
      dr nabil

      Excluir
  7. Ola dr Nabil,eu tenho 28 anos minha primeira crise convulsiva foi com 22,minhas crises convulsivas acontecem num grande intervalo de tempo ,por exemplo,ja faz tres anos q não tenho nenhuma crise convulsiva ,mas tive duas crises de ausencia onde fico consciente e es=queço o nome das pessoas desse tipo o nome de algum objeto e tal,e queria saber se isso pode afetar de arrumar um emprego ,pois fui fazer uma entrevista com o medico da empresa e ele quer me cortar por causa de crise convulsiva ,sera que toda vez que fazer uma entrevista vou ter que esconder essa doença q e muito rara acontecer comigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. infelizmente o mercado de trabalho tem restrições a quem teve ou tem epilepsia.
      Por outro lado, existe a preocupação para a sua própria segurança. Em nome dela, não convém omitir seus dados clínicos, quando for candidato.
      sugiro que leia outras postagens minhas sobre trabalho e epilepsia.
      Ao omitir, estará incorrendo em riscos para você, para a empresa e para os outros colegas de trabalho. boa sorte. dr nabil

      Excluir
  8. Dr Nabil, tenho 23 e os 13 anos tive a minha primeira crise convulsiva, foi bem forte tive movimentos involuntários e depois apaguei, já com os 16 anos ouve uma outra crise da mesma forma que aconteceu a primeira, depois de algum tempo me aconteceu algumas vezes de estar dormindo e quando acordava me sentia travado na cama e com ausência, hj quando estava dormindo meu pai me acordou por eu estar com a respiração forte e descontrolada quando acordei fiquei ausente por algum tempo e sem conseguir conversar com ele pois não conseguia formular palavra, mordi a linguá e acordei com o corpo doendo.
    Sou estudante universitário e levo uma vida onde ingiro muita bebida alcoílica e a algum tempo vim usando muita maconha e drogas com anfetamina (Acido ou Êxtase), gostaria de saber se isso pode ter desencadeado essas crises de ausência e tbm faço uso de medicamento pra controlar a convulsão que tive nos meus 17 anos mais sempre esqueço de tomar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muitas vezes, esse tipo de EPILEPSIA, costuma desaparecer com a idade adulta.
      Os estimulantes podem causar crises convulsivas, mesmo em quem não tem epilepsia.
      Convém evitar. O mesmo, para a privação do sono.
      O tratamento antiepiléptico não pode ser interrompido de forma abrupta, sob sério risco de convulsões graves. Não interromper sem ordem médica.
      se esquecer de tomar a medicação, tomar assim que lembrar, nem que fiquem próxima essa dose da seguinte.
      obrigado e desculpe a demora. dr nabil

      Excluir
    2. Olá Dr. Nabil,
      tenho 22 anos, estou no fim da facul e tem acontecido umas sensações estranhas. e não sei nem explicar direito o que acontece, mas parece que meu corpo descompensa. Parece que sinto meu corpo sair de mim e voltar, e depois parece que passa uma onda de calor e ele volta... isso é muito rápido... e em uma das vezes tive taquicardia após, pode ser crise de ausência?

      Excluir
    3. oi desculpe a longa demora. não visualizei, antes, o seu pedido. espero que estejas bem.
      Bem, não Ausencia tipica, essa ocorre na infancia, sem percepção das crises, a não ser por erros cometidos pelo lapso ou percebido crises por outras pessoas. Exemplo ditado falhado pelas crises de ausencia em aluno na escola.
      O seu caso , se for Epilepsia, tem localização difícil pela clínica, porque a saída do corpo tem sido demonstrada em alt do lobo parietal, mas também, no temporal. A taquicardia, com area da ínsula e temporal. O calor, pelo hipotálamo,
      Então, parece mais, ser um evento não epiléptico, como , por exemplo, uma crise de ansiedade ou de panico. Convem consultar com neurologista ou psiquiatra. O eletroencefalograma não será diagnóstico por si só, a não ser que esteja sendo realizado durante a crise. Mesmo assim, ajuda a completar o diagnóstico. A característica falta de ar (dispneia) da ansiedade, não costuma ocorrer na Epilepsia.
      boa sorte
      dr nabil

      Excluir
  9. Dr Nabil, tenho 28 anos e fiz alguns exames como EletroEncefalograma, Tomografia de Cranio e Orbitas, Eletrocardiograma e exames de sangue diversos... entre eles tudo está normal, exceto uma leve alteração no colesterol e sinusopatia.
    Notei que desde que me mudei para a capital afim de trabalhar em minha área de formação, há cerca de 7 anos venho sendo submetido a muita pressão, sem contar os stresses do dia a dia causados pelos problemas de São paulo Capital.
    Desde que que me mudei para cá, com muito pouca frequencia( digo em ANOS), tive crises que tinham todos os sintomas de queda de pressão como tontura, suor frio, palidez, escurecimento da vista, cansaço e perda de força nos membros o que acarretou alguns tombos leves...
    Resolvi procurar ajuda médica para saber se era somente queda de pressão ou algo a mais... inclusive um cardiologista me disse que terei que tomar anti convulsivos por toda a vida (Crise de ausencia), mesmo com todos os meus exames não terem dado nada anormal...
    O que o senhor acha? Será que não pode ser algo psicológico ou de stress?
    Obrigado pela ajuda!

    ResponderExcluir
  10. Dr. Nabil, meu sobrinho de 6 anos está tendo crises que aparentam ser de ausência,há alguns meses ele para, fixa o olhar, as vezes urina, e tb emite pequenos ruídos, isso por uns 5 a 10 segundos.Está fazendo os exames, ele teve uma queda há uns 3 anos e tb demorou de nascer, isso pode ter relação? ele pode melhorar com o tratamento? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe nao ter visto antes sua questão.
      a faixa etaria 6 anos é típica para o inicio de epilepsia ausencia tipica, que não é relacionada com a queda ou a dificuldade no nascer. A ausencia tipica, tem origem genética. O eletroencefalograma é muito importante nesse tipo de crise, para distinguir de outras formas de epilepsia. Desde 1986 atendendo crianças com Epilepsia tipo Ausencia, só vi um caso, de Ausencia tipica, em que o paciente urinava na crise. O urinar nas crises, é mais comum, em outras formas de Epilepsia.
      embora, conste na literatura medica, como um dos sintomas possíveis de ocorrer na Ausencia Tipica. Os pequenos ruídos nas crises, tambem, não são comuns na Ausencia Tipica, mas podem ocorrer.
      dr nabil

      Excluir
  11. Pezados dr. Nabil , tenho um amigo que de um ano pra ca tem crises de ausencia... e faz uns barulhos com a boca como se estivesse com chiclete e mascando com a boca aberta , apos uns segundos ele volta como se nada tivesse acontecido e meio perdido... as vezes o que esta segurando nas maos cai no chao.... na tomografia nao deu em nada. Estou desesperada. Me responda por email o tel e o endereço de alguma clibica para tratamento... ele ate sofreu um acidente de carro ois sofreu uma crise no volante .. e bateu de frente com um poste. Bom aguardo um retorno urgente. Meu email é may_munarim@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá existem crises epilepticas to tipo parcial complexa, diferentes das crises de ausencia tipica, no tratamento. Convem diferenciar ambas. As de ausencia tipica ocorrem ou iniciam na infancia ou antes da adolescencia, são de causa genetica, não costumam ter automatismos do tipo que descreveu. Na ausencia tipica, o mais comum é o piscar ritmico dos olhos. Nas parciais complexas, o olhar é fixo, quase sem piscar, sendo comuns automatismos na boca. No eletroencefalograma nas ausencias tipicas ocorrem descargas ponta onda lenta nos 2 lados do cerebro ao mesmo tempo. Nas parciais complexas, costumam ocorrer somente em um lado de cada vez. A ressonancia magnetica deverá ser normal na ausencia tipica e terá bem mais chances de mostrar alguma anormalidade, nas epilepsias parciais, como por exemplo, esclerose mesial do hipocampo, nas parciais complexas do lobo temporal. A tomografia não detecta bem essas anormalidades, é um exame mais para emergencia, para excluir alguma lesao maior ou mais grave, tipo hemorragia, por exemplo, obrigado e aguardo noticias.

      Excluir
  12. Muito obrigado pela resposta. Os exames estão marcados , porem gostaria de marcar uma cobsulta com o sr. Em qual estado o sr possui consultorio ? E o telefone.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu consultório é em caçador sc, proximo de lages videira, fraiburgo

      nasci em caçador, onde residem meus familiares, por isso, voltei para cá, apos minha residencia medica em neurologia no Hospital de Clínicas do Paraná.
      fone 49 35630472 atendo particular e UNIMED
      mas aconselho que faça tratamento com neurologista mais proximo de ti. as ordens

      Excluir
  13. Dr Nabil, minha mãe sofria de convulsões muito fortes desde adolescente. Diziam que era um ovo de solitária que se calcificou em determinada parte do cérebro. Eram convulsões muito fortes mesmo e, neste período, ela tomava gardenal. Mesmo assim, as crises ainda aconteciam. Neste periodo, fez uso de outros medicamentos.
    Hoje ela tem 50 anos e sofre de ausência, conforme os médicos. As convulsões pararam. Ela tem repetidas vezes na semana. Fez o eletro e está tomando agora DEPAKOTE 250mg, 3x ao dia. Ela diz que "sente" quando vai ter ausência, que vem, geralmente, pré-acompanhada de forte dor de cabeça.
    Os sintomas dela são: crise de 30seg a até 5min; continua suas atividades, mas diz ter consciência disso, apesar de não conseguir se comunicar e explicar o que está acontecendo; sente ânsia de vômito após a crise e sonolência; às vezes morde os lábios e faz sons com a boca; seu olhar é fixo.
    Ela diz que sua cabeça, memória não está mais a mesma depois que começou a ter estas crises...sinto pena dela passar tão mal tantas vezes na semana...ela já foi a vários médicos, mas ninguém resolve. A medicação nunca funciona direito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade, essas crises parecem ser mais do tipo redução de consciencia por crise do lobo temporal, até pouco tempo atrás, denominadas de parciais complexas do lobo temporal. As crises de ausencia tipica ocorrem muito mais na infancia, geralmente, sem convulsões. costumam durar poucos segundos, mais breves que as do lobo temporal. O eletroencefalograma é um importante meio de diagnostico diferencial entre ambas.
      O tratamento é diferente de uma para outra forma.
      em tempo, nas crises de ausencia tipica, não ocorrem dores de cabeça e caracteristicamente, não tem como sentir que vão ocorrer, diferentemente das do lobo temporal.
      as ordens, dr nabil

      Excluir
    2. na verdade, essas crises parecem ser mais do tipo redução de consciencia por crise do lobo temporal, até pouco tempo atrás, denominadas de parciais complexas do lobo temporal. As crises de ausencia tipica ocorrem muito mais na infancia, geralmente, sem convulsões. costumam durar poucos segundos, mais breves que as do lobo temporal. O eletroencefalograma é um importante meio de diagnostico diferencial entre ambas.
      O tratamento é diferente de uma para outra forma.
      em tempo, nas crises de ausencia tipica, não ocorrem dores de cabeça e caracteristicamente, não tem como sentir que vão ocorrer, diferentemente das do lobo temporal.
      as ordens, dr nabil

      Excluir
  14. Boa noite, minha namorada tem as crises de ausência e as convulsões, com as convulsões eu sei lidar bem, mas as de ausência me deixam meio preocupado, as vezes duram dois minutos, mas as vezes passam de quinze minutos, ela acaba dormindo e depois ela acorda muito enjoada ,o que eu poderia fazer quando essas crises duram muito tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi obrigado por acessar meu blog
      o ideal é evitar as crises, ou reduzir a severidade das mesmas.
      consultar frequentemente com o neurologista, até obter melhora desejada. Na crise, proteja a sua namorada de acidentes, não ofereça nada para tomar, na crise ou ouproximo da mesma, pelo risco de engasgue ou afogamento. deitar a mesma de lado, cabeça no mesmo nível ou seja, travesseiro baixo.
      observar respiração. acionar o SAMU ou serviço de emergencia.
      boa sorte dr nabil

      Excluir
  15. Olá minha irmã tem problema des dos 6 anos quando teve cancer na vista e teve q remover a vista depois disso começaram os problemas ela toma varios tipos de remedio e tbm esse carbamazepina 200 ml 6 por dia ela tem faz algum tempo essas crises de ausencia me preocupo bastante com o dia a dia dela ela nao sabe que da isso nela ela se balança as maos e sempre quer ficar fazendo alguma coisa. teve um tempo estava tomando café e deu nela ela derramou o café no pé dela, ja deu dela quando estava na ponta do degrau da escada ela se meche quer caminhar fazer o q estava fazendo mas nao consegue ja estava com um gatinho na mao deu a crise nela fico balançando o gato pra la e pra ca se ela tem alguma coisa na mao ela aperta bem forte imagina se ela esta fritando algo e deixa o oleo cair no corpo isso em preocupa coitada faz varios exames toma remedios como galinha come milho dão e tiram remedios o que você poderia recomendar que ela fizesse para essas crises pararem ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cerca de 2 5% das crises são refratarias. isso é não respondem a 2 tentativas de tratamento com drogas diferentes ou mais. Esses c asos são melhor atendidos nos centros de epilepsia. Deve haver algum proximo de ti. Me informa seu lugar, que poderei lhe indicar. as ordens, dr nabil

      Excluir
  16. Olá, tenho 20 anos e desde os 13 faço tratamento para Crise de Ausência.
    Tomo o Depakene ( 2 x 250mg). Mas a minha dúvida é com relação a minha dieta, pois desde o início do tratamento não posso comer nada que seja doce, apenas frutas. Não conheço ninguém que faça um tratamento similar, por isso queria saber, tenho mesmo que continuar sem comer açúcar?
    Att

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o acido valproico principio ativo do depakene, pode facilitar ganho de peso. Por isso a dieta com restrição dos carbohidratos. Mas, não faz parte do tratamento em si.
      Apenas, para limitar ou reduzir efeito colateral de ganho de peso, ainda se for o caso. Pergunte ao seu medico, se foi esse o motivo, ou se houve outra indicação. boa sorte.
      dr nabil

      Excluir
  17. ola Dr Nabi, meu namorado tem crises de ausências, e nesses últimos 2 meses tem acontecido com frequência, ele fica ausente com um olhar fixo e rigidez nas musculatura, quando ele começa a voltar em si fica gago, as palavras não saem direito e não consegue se lembrar direito do que aconteceu, ele não toma nenhum medicamento. o que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o eletroencefalograma ajuda a diferenciar ausencia tipica de outras crises epilepticas. é importante essa diferenciação, porque, o medicamento é diferente. Nesse caso, nao parece ser Ausencia Tipica, porque, não é comum , a confusao mental ou deficit na fala apos a crise, na ausencia tipica.
      boa sorte, dr nabil

      Excluir
  18. Olá Doutor. Primeiramente, Parabéns pelo dia do médico, foi ontem, mas ainda está valendo. Gostei muito de seu blog, pois estou passando por uma situação estranha com minha bb, que a pediatra cogitou poder ser crises de ausência. Ela nasceu com CIV muscular trabecular, e por causa disto respira com um pouco de dificuldade. Reparei que em determinados momentos, seu olhar parece se fixar no nada, como se ela tivesse morrido, uma coisa muito assustadora, eu chamo ela pelo nome, sacudo, estimulo de todas as formas, tem horas que ela volta rápido horas não. Estou apreensiva, pois isto acontece várias vezes no dia, e ainda vou ter que esperar um mês para que a pediatra encaminhe para o neurologista. O Sr. confirmaria serem crises de ausência? Fiquei muito aliviada em saber por sua matéria que não há danos neurológicos. Minha bb tem 1 mês e 20 dias.
    Nota: Eu tenho epilepsia, será que isso influencia em alguma coisa?
    Muito obrigada pela atenção. Abraço.

    ResponderExcluir
  19. obrigado . d esculpe não responder antes. percebi hoje seu comentario.
    bem, acho que nesse caso, infelizmente, não se trata das crises que descrevi de ausencia tipica, porque, nessas, elas se iniciam, apenas, apos os 3 anos de idade, somente. Então, deve ser outro tipo de crise, podendo até não ser epilepsia e sim uma perda de consciencia transitoria por má oxigenação cerebral naquele momento.
    como acontece varias vezes ao dia, o ideal, seria internar em hospital universitario para monitorizar as crises sob eletroencefalograma mais outros aparelhos, como por exemplo monitor cardíaco e oxímetro. quanto antes, melhor. Porque, não sendo Ausencia típica, como não parece ser, pode haver risco de dano neurológico. boa sorte e me mantenha informado. obrigado dr nabil

    ResponderExcluir
  20. Ola! Dr. Gostaria de saber si hj á cura para crises de ausência? Por que minha filha desde os 13 anos , hj com 24 anos , ainda tem esta crises,pois é ela virar os olhos como tic nervoso e muito sono parece drogada,ou fica segundos com olhos parados e ñ si lembra nada, teve problemas na escola , mas si esforçou e conseguiu , terminar, mas sonho de fazer faculdade acabou com um 1 ano de nutrição, onde na hr de fazer as provas , ficava nervosa e desmaiava.logo depois veio a ficar gravida, parou com o tratamento ate hj, pois com a gravides ,tinha muito medo , mas melhorou bastante. Hj, ela parou tratamento , mas as crises continua,menos forte, mas na oca de suas mestruação , ela fica mal , muita dor de cabeça, muito sono, tem mas crises, ela chora por que sempre teve medo de cuidar de seu filho e machuca lo, e tbem tentou trabalhar , mas ñ consegui, e gostaria de tirar carteira de motorista. Mas me preocupo

    ResponderExcluir
  21. Ola! Minha filha tomava Depakot 500mg, mas ficava mas sonolenta, e gostaria de saber qual tipo de resonancia que ela pode fazer que tem mas detalhes, si aquela com iodo , por que ela mora em Assis,Sao Paulo, si vc conhece um bom neurocirurgião , que possa indicad, pois ja trouxa ela para o Japao, mas ele disseram que ñ tem cura, so controle ou uma microcirurgia com camera.o medico dela era de Marilia,. dr Milton leite, professor da neroucirugia da Unimar,si swria bom ela estar procurando novos especialista.. Estou morando atualmente no japao, tbem fui ao medico estou com ausencia de memoria, esqueço tudo , ñ tenho crises, mas qdo criança tomei gardenal por 3 anos,entrei na menu, tenho diabet, isto pode ter acarretado, esta crises de memoria, esqueço fogo ligado, esqueço onde guardo as coisas,crises fortes de dores cabeça , problema com cheiro.eles falaram que estou com um pequeno tumor na hipofase , mas que ñ prejudica em nada, isto ja faz 3 anos, devo procurar novamente o medico. Por que o clinico disse que falta de vitamina, o Sr. Ja ouviu falar desta doença ADHD,

    ResponderExcluir
  22. Ola Dr. Meu nome é Nathalia tenho crise de ausência desde entre meus 10 11 anos de idade tenho até hj pois vou fazer 19 e ja passei em 3 neurologista ja cheguei a tomar Depakene 250 mg, amato, neural e recentemente estou tomando Depakote ER 500 mg tomo 3 por dia ja faz algum tempo, mas as crises desde qndo começo continuam, a crise nãe é mt forte dura de 4 a 7 segundos, é mt rapido e esqueço do q estava falando, fica td preto ñ ouço nada, é como se ñ existisse e só qm vive cmg percebe q eu faço, tenho as crises diariamente, é mt raro eu ficar 1 dia sem fazer qse ñ acontece, ja fiz todos tipos de exames e ñ consta nada, tenho costume de fazer a crise qnd acordo, q é a hr q mais sinto sono e qnd estou anciosa e respirando demais pela boca o depakote ER esta sendo o q menos me deixa com crise mas ainda tenho todo dia, e o remedio me deixa com mt sono e faz eu engordar.

    ResponderExcluir
  23. eu sentia isso direto antes de iniciar o tratamento com o tegretol... Antes de ontem, eu tive uma crise de ausência, acho que por estar a alguns dias sem tomar o remédio.
    É muito estranho, te dá uma sensação de anestesia, às vezes de "deja vu".. Você responde a alguns comandos, a algumas perguntas, mas de maneira automática, sem prestar atenção de verdade no que tá fazendo ou falando.. Falei ao telefone com a minha mãe, eu só respondia "aham" e "entendi", mas depois não me lembrei de nada do que ela tinha falado. E depois que passa a crise é só confusão na sua cabeça. As pessoas ao redor raramente percebem o que aconteceu, só a gente sabe a sensação de estranhamento que a gente sentiu.. Chega a ser engraçado.

    ResponderExcluir
  24. Percebi Dr Nabil, que o senhor falar de diagnostico por exames EEG , especificamente, mas eu já fiz vários exames : EEG, tomografia, ressonancia e todos normais. Comecei a ter crises convulsivas, umas mais fracas outras mais fortes aos 13 anos mais ou menos ... tomei remadios por um tempo , suspendi, e chego a ficar 3 anos sem crise alguma . Agora aos 40 , voltei a ter mais constante crises convulsivas rapidas, nada mais que 3 minutos : Perco a consciencia e sinto que vou sentir, me contorço e as vezes mordo a lingua outras não ... retorno sozinha e sem saber o que aconteceu. Outro detalhe é que as vezes sinto sono após as crises e as vezes meu corpo todo dói .... Voltei a tomar remedio > Dekapote ER a noite . Mas diagnostico nenhum ,,, Meu neuro passou psicoterapia e disse que tenho algum transtorno de ansiedade , algo que desencandeia esta eletricidade , mas disgnostico por exames inexistem, todos são normais .

    ResponderExcluir
  25. Bom Dia, meu primeiro distúrbio ocorreu com 34.Começou parte direita do lábio e depois foi até um ataque epilético, fiz vários exames como eletro, sangue e ressonância.Nunca constatou nada, apenas um leve incomodo por causa de uma febre alta No começo do tratamento tive um desmaio dirigindo onde bati a carro num poste.Hoje tomo trilepital 3 vezes ao dia.Depois de dois anos fui ter um outro acidente. Onde parei o carro numa rápida e fui voltando a pé pra casa.Atravessei a avenida, as pessoas me perguntavam se tava esquecendo de algo e não consegui me lembrar.Até voltar pro carro.
    Pergunta:será isso uma crise de ausência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Rodrigo. Lamento pelos acidentes. O detran de São Paulo recomenda não dirigir até ter 2 anos consecutivos sem crises, mantendo uso da medicação. Dos exames, já tive pacientes, que somente o Video EEG conseguiu mostrar as descargas epilépticas.
      Existem Centros de excelencia em Epilepsia, Tanto para confirmar ou diagnosticar, como classificar e tratar.
      Como ficaste 2 anos sem crises, provavelmente, esteja bem indicado o seu medicamento. Corrigindo, muito dificil de serausencia típica. E sim epilepsia do lobo temporal. A ausencia típica é característica da infancia. O eletroencefalograma mostra bem as descargas ponta onda lenta generalizadas, na Ausencia. Já na Epilepsia do lobo temporal, o EEG é mais falho em mostrar descargas epilepticas. Pode ser necessário, o Video EEG. Já soube de casos, que nem o video EEG mostrou a Epilepsia do Lobo temporal, só sendo confirmada quando realizado, sob retirada da medicação (com o paciente internado). boa sorte. dr nabil

      Excluir
  26. Em primeiro lugar, parabéns pelo seu blog e sua dedicação Dr Elias! Bom... estou aqui para lhe informar mais algumas vivências de pacientes com epilepsia e compartilhar saberes. Meu nome é Gustavo Giorgis Santos, sou gêmeo com uma mulher perfeita em saúde e ambos somos químicos professores, gaúchos de Bagé e com 26 anos de idade. Tive a crise "explosiva" aos 23, pois foi só aí que perdi a consciência por muitos minutos, parando no hospital e revelando o verdadeiro mal. No entanto, entendo hoje que já carregava este "mal" comigo há tempos, de certa forma, a infância. Me isolava quando percebia que iria perder a consciência e por isso a minha família nunca soube. Vale ressaltar que as crises de ausência iniciaram por volta dos 10 anos de idade mais ou menos. Reconheço hoje a epilepsia, faço tratamento ingerindo Depakene 250 mg e Tegretol 400 mg durante 2 vezes ao dia. No entanto, estou passando por um momento complicado, pois ás vezes chego a ter 3 crises ao dia após um intervalo semanal e até mensal sem crises.
    Vale ressaltar que eu não levava esta doença a sério, pois quando era jovem, ao sentir o aviso da ausência, eu me isolava de todos e esfregava meus olhos muito rapidamente, tentando me concentrar e resgatar a atenção. Isso resolveu por muito tempo, mas evoluiu ao ponto atual, em que é muito difícil evitar.
    Já fiz todos os exames, inclusive o Eletroencefalograma com mapeamento e ressonância magnética. Nenhum exame detectou nada até hoje e a primeira pergunta que faço ao senhor é: Nesse caso eu teria que ser induzido a uma crise para que a aparelhagem detectasse algo ou ser internado para isso?
    Bom... sou gêmeo e nasci muito prematuro, isso pode ter influenciado para a doença atual? Vale ressaltar que a gêmea tem saúde 100%.
    Mais uma pergunta, só que agora em relação aos fármacos. Minha médica só pede exames relacionados ao ácido pelos possíveis danos ao fígado, mas nunca falou em tremores, etc. Atualmente em determinados momentos do dia estou trêmulo, principalmente no intervalo de tempo de uma crise.
    Por último hoje Dr... Ingiro 250 mg de ácido valpróico e 500 mg de Valproato de sódio. Podes me informar a diferença entre esses dois princípios ativos e comentar a função da carbamazepina?
    Desde já agradeço pelo seu interesse em ensinar e querer aprender ao mesmo tempo nesta carreira tão fantástica.

    ResponderExcluir
  27. Caro Giorgis, obrigado pelas suas palavras. Desculpe a demora.
    As caracteristicas de seu quadroclinico, lembram mais uma Forma de Epilepsia do Lobo Temporal, do que Ausencia Típica. O eletroencefalograma dificilmente deixa de mostrar descargas típicas pontaondalenta generalizadas, na Ausencia Típica. Ainda mais, ocorre mais na Infancia. Não tem avisos da crise. Diferenças essas com a doLobo temporal. Existe um serviço de excelencia, de r enome internacional, de Epilepsia, no Hospital São Lucas de Porto Alegre.
    As vezes, video eeg, pode mostrar descargas epilepticas, que não tenham sido demonstradas no EEG (eletroencefalograma) convencional. Seria um auxílio importante no diagnóstico diferencial, entre Epilepsia ou Evento não epileptico, Se epilepsia, qual tipo, com implicações no tratamento. Acido valproico e valproato de sódio atuam do mesmo modo no Sistema Nervoso Central. O valproato foi comercializado, inicialmente, nas 2 formas, ácido valproico no Depakene cápsulas e valproato na apresentação xarope e nos comprimidos. O valpakine tem seus comprimidos e a solução oral na forma sal (valproato). A forma ácida é mais irritante para o estomago, necessitando ser contida em cápsula. Apresentação líquida ou em comprimidos, tem dificuldade em isolar o ácido da parede estomacal, necessitando ser oferecida na forma sal. as ordens,
    dr nabil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. completando, Giorgis, a forma sal ou valproato, tem absorção mais lenta que a forma ácida, gerando meia vida mais longa.
      da carbamazepina, ela não funciona para Ausencia tipica, podendo até piorar essa forma de Epilepsia. Já, para a Epilepsia do Lobo temporal, é uma excelente opção. Atua limitando a entrada do Sódio pela membrana neuronal. O ácido valproico, embora tenha um papel discreto, no sódio, tem seu efeito principal, como potencializador do GABA, ácido gamaaminobutírico, um neurotransmissor inibitório das sinapses cerebrais. dr nabil

      Excluir
  28. Olá Dr. Namil,

    Eu tenho um amigo que tem as mesmas crises descritas! Ele passa cerca de 5 min "fora do ar" lembrando apenas da esposa e de mais ninguém! No caso ele toma remédios para isso, passados pelo neurologista! POrém ele tem um problema do coração e quando foi feita a cirurgia colocaram uma válvula de titânio... dessa forma ele não pode fazer uma ressonância magnética, nem nada que mexa com a parte de verificação do neurônio que está com o problema! Gostaria de saber se existe alguma forma de ajudá-lo? Agradecido. Hattus Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá. não tenho tido casos ou lido sobre crises epilépticas em que a pessoa fique lembrando de alguém ou de algo. Pode até ser que seja, mas há que avaliar se não é manifestação de ansiedade. O video eletroencefalograma, tem um traçado mais prolongado, sendo maiores as chances de detectar crises epilepticas ou sinais de epilepsia. Mas, pode ser, que o colega que atende o caso já o tenha feito ou então, detectado atividade epileptiforme, mesmo em eletroencefalograma convencional, de menor duração.

      Excluir
  29. Boa tarde!!

    Dr. Nabil tenho um filho de 11 anos que desde os 3 anos de idade sofre com umas crises, as crises acontecem uma vez no ano, sempre ao deitar-se para dormir ou quando acorda, na verdade nunca deu uma crise durante o dia, quando ele esta ativo. Quando ele era menor durante as crises ele piscava só o olho esquerdo e tremia a mão esquerda involuntariamente, mas lembrava-se de tudo, agora depois de mais crescido um pouco ele fica com o olho parado e depois volta com ansia e vomitos, essas crises na maioria das vezes nunca passam sem levarmos ele para o hospital e ele ser medicado na veia, o que me preocupa é quando estamos longe de um hospital e nao conseguimos socorro rápido, o que pode acontecer se a crise for muito longa, e tambem qual tipo de crise é a dele, é possivel ela ter se modificado com o tempo? Ele toma o tegretol 3 vezes ao dia, tentamos tratamento com o trileptal mais as crises aumentaram para tres vezes ao ano. Ele nasceu de 6 meses e tem uma lesão no lado direito do cerebro. Obrigada e parabens pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. agradeço e desculpas pela demora para lhe responder,
      lesão no cerebro direito costuma provocar crises no lado esquerdo do corpo, como a que ocorre no seu filho. O trileptal é um derivado do sal do tegretol. O resultado tende a ser semelhante entre os 2 medicamentos, com maior tolerancia para o trileptal, porque esse não contem o radical epoxi, responsável pela maioria das reações adversas. O tegretol uma vez metabolizado no fígado, produz os radicais epoxi e oxcarbamazepina (sal do trileptal). A crise do seu filho é do tipo parcial quando só na mao e o piscar no lado esquerdo do corpo.
      se inconsciente com os olhos parados, pode estar tendo uma crise generalizada, que deve ser avaliada com eletroencefalograma, para excluir ausencia típica, condição genetica, não relacionada a lesao, mas uma condição não rara, na infancia, lembrando que crises d e ausencia tipica podem piorar com tegretol ou trileptal. boa sorte
      aguardo retorno
      dr nabil

      Excluir
  30. Olá, boa tarde, tenho 25 anos e desde os 13 sofro com algum mal que nenhum neurologista conseguiu diagnosticar.
    Diversas ocasiões podem desencadear.. são quedas.. meu corpo desliga por frações de segundos, quando recobro a conciencia estou indo de encontro ao chão. além de tremores involuntários.
    exemplos: estou a muito tempo sem dormir (mais de 20 hrs) quando vou fazer algum movimento, como andar, caio. Ai eu sento e aguardo uns 10 minutos antes de levantar novamente.
    dormir mais de 6 hrs por dia ou menos de 2 hrs, quando levanto da cama tenho varias quedas.
    Um fato que ja percebi: quando estou passando por situações de alerta, onde há liberação de adrenalina no organismo, não há queda. Mas quando a situação passa e sinto a mente mais tranquila (onde vejo que não há perigo) começo a ter as quedas.
    Ja fui a festas onde ingeria alcool durante o dia e ficava sem dormir por mais de 30 hrs, quando o alcool começava a diminuir seu efeito no organismo começava a ter quedas.
    ja fiz polissonografias, ressonancias e eletros, nenhum dos exames condizem com meus sintomas. Tenho apnéia obstrutiva do sono e minha pressão arterial durante o sono é constante em 8/9, tenho 1,83m de altura.
    ja fiz tratamento com clonazepan e valproato, nenhum apresentaram melhores. Porém obtive uma grande melhora no quadro da doença com o crescimento, as crises eram bem maiores dos 13 aos 18 anos (quando parei todos os tratamento). Atualmente sofro quedas no maximo 1 vez por mes.
    Já aconteceu também de não ter espamos e desmaiar direto, normalmente enquanto estou no banho, quando acordo do desmaio, não me lembro de nada e fico completamente desorientada, além de muita dor no corpo.
    Dr. gostaria muito de ser mãe, porém tenho muito medo, pois aos 14 anos deixei meu irmao cair do meu colo quando bebe. Desde então nunca mais segurei um bebe no colo.
    O sr. sabe o que eu tenho? ja viu alguem com sintomas parecidos? Pode me ajudar?
    obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quando o Eletroencefalograma convencional não faz diagnóstico de Epilepsia, persistindo as crises, o melhor é um videoeletroencefalograma, sendo que antes desse exame, vc deveria ficar com privação do sono, semelhante aquela que lhe costumava ser seguida das quedas.
      Outra possibilidade, é de que não seja epilepsia, sendo a Narcolepsia, uma doença a ser considerada no diagnóstico diferencial. Os centros de epilepsia, distribuídos pelas universidades do país, mais alguns outros em serviços privados, são os locais mais aptos a fazer o diagnóstico.
      boa sorte
      dr nabil elias bittar

      Excluir
  31. Ola dr Nabil, passei a minha infancia sem perceber, mas um dia jogando game percebi que em jogos que exigem raciocinio instantaneo eu tenho alguns intantes de ausencia, nesses instantes meu cerebro continua jogando mas a minha consciencia vai embora. Há algum tempo também comecei a ter movimentos involuntarios nesses intantes , nunca passou de 5 segundos, porém tive uma crise epileptica há muito tempo. Ja fiz dezenas de exame mas nunca fui diagnostica com eplepsia, porém em momentos que exige o tal do raciocínio instantaneo a crise de ausencia vem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria interessante realizar. um Video - eletroencefalograma durante sua açao de jogar video game. Converse com seu medico. Aguardo retorno. obrigado. Dr. Nabil

      Excluir
  32. Bom dia Dra Nabil, minha filha de 16 anos sofreu um trauma a 1 anos atras, e depois disso começou apresentar crises de ansiedade. ela faz tratamento psicológico, mas de um tempo para cá, ela começou a apresentar um desligamento estranho, tem um breve momento q parece q ela sai do ar, o olhar fica distante e ela fala coisas sem sentido...do jeito q começa ela volta ao normal e não se lembra o q aconteceu nesse período...ex: essa semana estávamos caminhando juntas para o ponto de ônibus. ela me contava uma historia q havia acontecido na escola, de repente ela se calou, fez ânsia de vomito...perguntei o q estava havendo, ela gesticulou q estava enjoada, segundos depois pergunto onde estávamos indo. eu respondi q ela esta indo para escola, perguntei se estava tudo bem, ela só apontou para cabeça, como um gesto de q havia esquecido...depois liguei para perguntar se ela estava bem...ela disse q não lembrava...e isso tem acontecido qd ela esta com colegas...mas de forma diferente...ela fala coisas sem sentido nenhum, do nada e depois de segundos ou minutos, ela volta ao normal e não lembra do q falou!! estou muito preocupada, e ja não sei quem procuro..nem o q fazer...poderia me orientar? acha q tem algo haver com ausência? pq na realidade, parece q ela não esta ali naquele momento!! é como se ela ligasse o automático e as palavras e gestos fossem involuntários, por isso não fazem sentido...

    desde ja agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. epilepsia do lobo temporal é uma possibilidade. mas o diagnóstico exige consulta medica, que indicará a possibilidade diagnostica mais provável a ser trabalhada. O eletroencefalograma pode mostrar elementos epileptiformes. Se não mostrar, pode ser que um exame mais prolongado, acompanhado de video simultaneo traçado e paciente possa mostrar as crises. Uma outra medida, seria gravar a crise com seu celular, focando bem a face de sua filha, no momento da crise e mostrar para o medico.
      boa sorte aguardo retorno. dr nabil

      Excluir
  33. Bom dia Dr.
    Me chamo Meire e tenho um filho de 22 anos, o Matheus, que tem crises de ausência controladas e tem uma pequena deficiência física. A um mês conhecemos uma garota de 24 anos chamada Júlia que tb tem crises de ausência mas, de forma muito crônica. Ela toma 15 comprimidos ao dia e mesmo com todo tratamento continua a ter crises contínuas. Qdo ela tem uma crise acontecem várias sequenciais e que às vezes causam dores no corpo. Ela é tão debilitada... a gente percebe uma certa fraqueza nela, pernas, braços e até mesmo no falar. Meu filho Matheus tem dificuldades de falar, pois é muito tímido, porém, tem uma vida praticamente normal, pratica esportes, nada, trabalha em um escritório no setor de informática. Já a Júlia, não. Não consegue fazer nada sozinha. Eu sinto que o que determina parte da limitação da Júlia é a quantidade de medicamentos que ela toma. Não sou doutora mas, de alguma forma esses medicamentos deveriam trazer mais benefícios para ela e no entanto, não parece. Ela tem crises todas as semanas ou mais. Outra coisa que me deixa em dúvida é o fato dela tomar os medicamentos todos juntos ao mesmo tempo (6) e com coca-cola. Será que não pode estar acontecendo algum tipo de interação medicamentosa. Perguntei para a mãe dela porque não a coloca na natação ou na hidroginástica para auxiliar no fortalecimento dos membros e ela disse que não pode. Doutor, precisamos ajudá-la por favor. Me diga o que devemos fazer, por favor.
    Espero que possa me ajudar.

    Desde já agradeço.

    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. existem varios tipos e epilepsia, com tratamentos e quadros clnicos diferentes, inclusive no comprometimento neurologico.
      podem confundir-se quando visto apenas a redução de consciencia nas crises. O tratamento tambem muda conforme o tipo de epilepsia. Casos que não tenham boa resposta, ou que exijam muita medicação, podem ser encaminhados para centros especializados em Epilepsia, sendo que o Brasil tem centros de excelencia, reconhecidos internacionalmente, a maioria em hospitais universitários. As vezes, pode até não serem crises epilepticas.

      Excluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Meu filho tem 6 anos e foi diagnosticado com crises de ausência, mas o neuro me pediu que o levasse a um cardiologista pq as crises dele chegaram a durar 1 hora e meia, ele fica todo pálido e com lábios e pontas dos dedos roxas, quando volta sente muita dor de cabeça e muito sono, em uma das crises teve dores no peito e a pressão foi a 14 por 8, mas normalmente ela fica bem baixa tipo 8 por 5, ele não morde os lábios, não se contorce, não faz xixi, mas fica completamente imóvel e com os olhinhos paradinhos, quando volta sente um medo enorme e só quer que eu fique com ele mais ninguém. Antes essas crises grandes eram raras, de uma a duas vzs por ano, mas agora já chegou a ter 3 em uma semana, já foi feito eletro e ressonância, o eletro antes do Depakene foram muito mais intensas, mas após o medicamento foram mínimas, mas mesmo assim as crises grandes só aumentaram a frequência e intensidade. Caso o Sr possa me dar alguma luz vou ficar eternamente grata. Desde já muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sugiro anotar horario dos medicamentos e das crises. levar para o neurologista. pode ajudar
      boa sorte
      dr nabil

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.